Comentário do Evangelho (Mt 26,14-25)

Quarta-feira da Semana Santa 13 ABR 2022

 Evangelho (Mt 26,14-25)

 — O Senhor esteja convosco.

— Ele está no meio de nós.

— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Mateus.

— Glória a vós, Senhor.

 Naquele tempo, 14 um dos doze discípulos, chamado Judas Iscariotes, foi ter com os sumos sacerdotes 15 e disse: “Que me dareis se vos entregar Jesus?” Combinaram, então, trinta moedas de prata. 16 E daí em diante, Judas procurava uma oportunidade para entregar Jesus. 17 No primeiro dia da festa dos Ázimos, os discípulos aproximaram-se de Jesus e perguntaram: “Onde queres que façamos os preparativos para comer a Páscoa?” 18 Jesus respondeu: “Ide à cidade, procurai certo homem e dizei-lhe: ‘O Mestre manda dizer: o meu tempo está próximo, vou celebrar a Páscoa em tua casa, junto com meus discípulos’”. 19 Os discípulos fizeram como Jesus mandou e prepararam a Páscoa. 20 Ao cair da tarde, Jesus pôs-se à mesa com os doze discípulos. 21 Enquanto comiam, Jesus disse: “Em verdade eu vos digo, um de vós vai me trair”. 22 Eles ficaram muito tristes e, um por um, começaram a lhe perguntar: “Senhor, será que sou eu?” 23 Jesus respondeu: “Quem vai me trair é aquele que comigo põe a mão no prato. 24 O Filho do Homem vai morrer, conforme diz a Escritura a respeito dele. Contudo, ai daquele que trair o Filho do Homem! Seria melhor que nunca tivesse nascido!” 25 Então Judas, o traidor, perguntou: “Mestre, serei eu?” Jesus lhe respondeu: “Tu o dizes”.

 — Palavra da Salvação.

— Glória a vós, Senhor.

 — Reflexão

 Pela narrativa do evangelista Mateus nós observamos que, enquanto Judas ajustava com os sumos sacerdotes o preço da traição, (30 moedas), os outros discípulos combinavam com Jesus o lugar no qual iriam comer a Páscoa! Cada um com o seu objetivo e interesse! Jesus sabia que iria ser traído e quem iria trai-Lo e, apesar de ter conhecimento do que se passava no interior do coração de Judas, Ele expressava abertamente os Seus sentimentos em relação a este, mas continuava orientando os outros discípulos nos preparativos da Páscoa. Por apenas trinta moedas de prata Judas traiu Jesus e se tornou cúmplice dos sumos sacerdotes, porém, com certeza, não foi somente pelo dinheiro que ele aceitou entregar Jesus, mas sim, porque dentro do seu coração o inimigo já havia plantado a semente da traição e ele se deixou corromper, passando do pensamento à ação. Mesmo assim, Jesus não discriminou ninguém e desejou comer a ceia com todos. Por isso, mandou dizer ao dono da casa que os acolheria: “Vou celebrar a Páscoa na tua casa, junto com meus discípulos”.  Ele não dispensou a presença de nenhum discípulo e, na última Ceia ofereceu Seu Corpo e Seu Sangue na presença de todos eles. Hoje, somos nós os discípulos a quem Jesus oferece um lugar para celebrar com Ele a Páscoa da Ressurreição e Ele sabe também o que se passa dentro do nosso coração. Somos também aqueles (as) que, costumeiramente, traímos Jesus por qualquer coisa, em qualquer ocasião quando atraiçoamos as pessoas a quem invejamos, caluniando-as e pomos em prática os maus pensamentos do nosso coração ou quando desprezamos os nossos irmãos e irmãs mais necessitados (as).  Jesus falou que estava no irmão sofredor, no irmão com fome, no pobre, no excluído, por isso, todas as vezes em que não reconhecemos Jesus nos nossos irmãos marginalizados estaremos também O traindo como Judas. Atraiçoamos e negamos os nossos irmãos por pouco mais ou nada, por ambição, por interesse, portanto traímos a Jesus. De alguma forma, estamos igualmente sendo outro Judas, no entanto, mesmo assim, não somos preteridos por Jesus, mas, muito pelo contrário, somos até atraídos por Ele para o Banquete da Ressurreição que é o objetivo da Sua entrega. Por isso, arrependamo-nos e deixemos morrer o nosso pecado na Cruz com Jesus para que possamos ressuscitar com Ele e desfrutar da verdadeira alegria que Ele mesmo conheceu Amém !!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*